segunda-feira, 28 de dezembro de 2015

quinta-feira, 17 de dezembro de 2015

Prece em memória dos suicidas(E aos tragados pelos excessos de diversão)





Véspera de natal, a noite vem, luzes de enfeite, mas eu encaro o céu além, nublado feito eu por dentro nesse momento, a cidade festiva, me vejo sem alternativas, saí pra dar uma volta, pedalo devagar por uma grande avenida, minha bicicleta em linha reta enquanto a vida ao redor cada vez mais se entorta; fato, coisas que banalizamos, tratando com insignificância ao invés de estarmos gratos, tipo o ar ainda respirável, tipo a água potável, tipo tudo aquilo que a gente só valoriza quando nos falta, eu bem poderia orar em voz alta sem me importar em ser tomado por louco, mas creio mais nas palavras proferidas no silêncio da alma e na honestidade das coisas feitas sem ser para manter certas aparências, as coisas doces e gratuitas dedicadas nas boas intenções do coração chamadas "Bem querências", meu pensamento está agora nos desistentes, nos mui carentes desesperados pelo prazer, lembrei do menino Andrei, conhecia muito pouco, vez por outra o encontrava por aí, gostava do jeitão tranquilo,overdose, nem chegou aos trinta, encontrado num motel de quinta, das últimas postagens nas redes sociais, a conta ainda ativa, aquela foto tão bonita esquecida com a mulher e a filhinha recém nascida, ah, cara, quantos feriados perdidos, quanto aprendizado desperdiçado, olho pra minha vida ordinária com a solitária lembrança daquele rapaz, penso na ingenuidade dos sorrisos das crianças que eu vi durante o dia, me deleito e me deito em paz...

quarta-feira, 9 de dezembro de 2015

sexta-feira, 4 de dezembro de 2015

terça-feira, 1 de dezembro de 2015