sábado, 29 de setembro de 2012

sábado, 15 de setembro de 2012

Dócil louco



















Feliz, ou infelizmente
as pessoas não vivem
sem pensar, mas mesmo
assim considero-me um
"sem lar", nas solidões
diárias de se viver nas
inconveniências das
memórias involuntárias,
pouco à pouco, cada dia
mais dispensável, o pobre
dócil louco...

segunda-feira, 10 de setembro de 2012

Sem graça















Como todo amante
fracassado que se preza,
sonha com a moça que
o despreza, joga o cabelo
pro lado em seu desdén,
um sorrisinho no canto
dos lábios, e assim vai bem!
E essa vida anda tão, sabe,
escancarada, com mais espaço
do que realmente precisa, e é
tanta gente indecisa no caminho
que ele só tende à ser mais sozinho,
ah, que é mundo demais pra alguém
tão só, oh, quanta gente só pra pouco
mundo!


sexta-feira, 7 de setembro de 2012

Sou outono
















De tempos em tempos
desfamiliariza-se, pois,
a simpatia de mim, como
as folhas das árvores aos
ventos de outono, o sol
esquece como eu era em
plena primavera, restam
os contornos distorcidos
do meu rosto conformado,
e o êxito em minhas tentativas
de invisibilidade, sem ninguém
ao lado, um voluntário isolamento
da cidade.

quarta-feira, 5 de setembro de 2012

Estações individuais
















Escoriações do tempo
no peito chamadas frustrações,
e cada vez que ela mente, digo
ao espelho"Cala-te, mente!",
sob o céu da rua, a alma nua
de um coração exposto, o amor
torna à não ter rosto, e quase
que insistentemente imploro
pra ser chutado outra vez,
ah, sei lá, junto os cacos de
mim, e triste vou vagar pela
cidade, com minha incansável
ingenuidade, pois que batam com
mais força, ou em retirada, sou
feito dos materiais mais resistentes
da terra sem nenhuma pretensão
de guerra...

domingo, 2 de setembro de 2012

sábado, 1 de setembro de 2012