sábado, 15 de setembro de 2012

Dócil louco



















Feliz, ou infelizmente
as pessoas não vivem
sem pensar, mas mesmo
assim considero-me um
"sem lar", nas solidões
diárias de se viver nas
inconveniências das
memórias involuntárias,
pouco à pouco, cada dia
mais dispensável, o pobre
dócil louco...

Nenhum comentário:

Postar um comentário